dípticos

talvez uma das formas mais comuns de se ver fotografias seja em revistas. Eu mesmo lembro de adorar ver revistas desde muito cedo, e essa forma de ver duas fotografias lado a lado sempre fez parte da minha educação visual ao longo dos anos.

Outra coisa que sempre tento fazer é sublimar tudo que está impresso em cima das fotos e tentar ver só a foto, sem nada escrito.

Essa forma de ver e de propositalmente juntar duas imagens vem de muito antes das revistas. Forma de apresentação conhecida e usada desde a antiguidade, popular durante o Império Romano e mais ainda na Idade Média, o Dípitico (ser forem três, tríptico, mais que três, políptico), e seu conceito foram apropriados pelas revistas modernas.

Duas placas presas por uma dobradiça, chamado também de "ícone viajante", foram largamente utilizados pela igreja católica para espalhar seus ícones, dobrando e viajando com segurança e abrindo e mostrando assim que chegasse a hora.

Bom, confesso que na minha infância eram outros ícones, deusas inacreditáveis em dípticos de tirar o fôlego. Mas sempre gostei muito de ver fotos de lugares, de viagens, paisagens. Outros ícones, mas sempre usando essa forma de apresentação e preservação de imagens. Enfim, sendo um gosto adquirido ou não, adoro ver fotos em pares.

pelo simples prazer de fotografar

além de toda parte séria, densa, além de todo estudo, todo esforço, sofrimento, angústia, além de toda pesquisa, de toda história, de todo significado e de toda tradição e além de todos os mestres e todas obras primas, a fotografia também é um simples prazer cotidiano.

Além dos fotógrafos e da profissão, as pessoas fotografam por seus motivos particulares,  fotografamos porque aquilo de alguma maneira nos agrada, nos dá prazer. Prazer em fazer, em ver, em participar, enfim, aquele tipo de prazer cotidiano sem pensar muito, sem pretensão, sem compromisso, simplesmente um agrado, uma coisa que fazemos porque gostamos.

Se a foto não ficou ótima, se não vai entrar pra história da fotografia, não importa. Pra esse tipo de fotografia, isso não vem ao caso. É como cozinhar, pra quem gosta de cozinhar, claro. Enfim, é nessa simplicidade, nessa despretensão, nesse hobby ou passatempo que, talvez, se encontre a base da fotografia, quando as pessoas fotografam pelo simples prazer de fotografar.